domingo, 22 de abril de 2012

[Rural]


INPE confirma Previsão de seca para a região Nordeste

A previsão climática de consenso para o trimestre abril a junho de 2012 (AMJ/2012) indica maior probabilidade de chuvas na categoria normal a abaixo da normal climatológica (75%) para o norte do Nordeste, onde está localizado o estado do Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí e Maranhão. No leste da Região Nordeste, onde o principal período chuvoso inicia no mês de abril, a previsão aponta para uma maior probabilidade (45%) de ocorrência de chuvas na categoria normal. Na grande área central, que inclui parte as Regiões Norte e Nordeste, o Sudeste e o Centro-Oeste do Brasil, fica mantido o padrão climatológico, ou seja, igual probabilidade de chuva para as três categorias (abaixo, normal e acima da normal climatológica). O clima nessas regiões estão sendo afetados pelo fenômeno “La niña”  que representa um fenômeno oceânico-atmosférico com características opostas ao EL Niño, e que caracteriza-se por um esfriamento anormal nas águas superficiais do Oceano Pacífico Tropical. Alguns dos impactos de La Niña tendem a ser opostos aos de El Niño, e na nossa região geralmente afetam o clima e o tempo redundando em longos períodos de estiagem. Veja no mapa:

sábado, 21 de abril de 2012

[Demais]

Caso Edinaldo Filgueira coloca Brasil em 11º no ranking da impunidade


A imprensa nacional e internacional divulgou nesta semana relatório do Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) onde o Brasil aparece em 11º lugar no ranking anual de países com os maiores índices de impunidade do mundo, ranking liderado pelo Iraque, Somália e Filipinas.
O coordenador da CPJ para as Américas, Carlos Lauria, destacou que no Brasil, ‘dois casos em 2011 demonstraram os graves e constantes riscos que enfrentam os jornalistas que informam sobre corrupção, política e crime'. O relatório do CPJ menciona o assassinato de Edinaldo Filgueira, vítima de múltiplos disparos após publicar em seu blog críticas voltadas às autoridades locais.
O Iraque detém pelo quinto ano seguido o pior registro no 'Índice de Impunidade' do CPJ com mais de 90 crimes não resolvidos, um nível que ofusca o de qualquer outro país, enquanto a Somália, com 11 casos, continua sendo um país infiltrado pela insurgência e paralisado pela falta de um Governo central efetivo.
O estudo também volta a evidenciar que a reportagem política continua sendo o tipo de cobertura mais perigosa para os jornalistas, já que 30% das vítimas incluídas no índice cobriam informações políticas no momento de seu assassinato.
O 'Índice de Impunidade' do CPJ, publicado pela primeira vez em 2008, identifica este ano 12 países onde os jornalistas são assassinados e os Governos fracassam em sua tentativa de solucionar os crimes em um período de dez anos, com cinco ou mais casos nos quais ainda não foi obtida uma condenação.
Fontes: Agência EFE; Revista Veja; Jornal Folha de São Paulo